SOS Mata Atlântica é premiada no TikTok Awards

15 de December de 2023

texto: Marina Vieira fotos: Marina Vieira e Matheus Mussolin Artistas, criadores de conteúdo, influenciadores digitais e público convidado se reuniram na noite de terça-feira, 19, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, para o TikTok Awards Brasil 2023. A premiação da plataforma de vídeos misturou nomes consagrados da televisão brasileira, como Xuxa, Eliana, Ana Maria Braga e Celso Portiolli, a artistas do momento, entre eles Luísa Sonsa, Ludmilla, Léo Santana e Ivete Sangalo, com os principais expoentes da rede social, que já tem mais de 82 milhões de usuários no Brasil, segundo o DataReportal. A Fundação SOS Mata Atlântica foi homenageada pelo conteúdo que produz sobre meio ambiente, junto a outras organizações sociais, na categoria #TikTokForGood. Presente desde junho de 2021, a Fundação utiliza a rede para mostrar a produção de mudas de árvores nativas do bioma, usadas em projetos de restauração florestal; para dar voz aos correspondentes dos rios, os voluntários em diversos estados que acompanham a qualidade das águas em suas comunidades; para mostrar os bastidores da incidência em políticas públicas, no Congresso Nacional e outras instâncias; e para mobilizar e inspirar a sociedade em defesa da Mata Atlântica, que é sua missão. “Ser premiada pelo TikTok é um reconhecimento maravilhoso e ao mesmo tempo surpreendente pra nós que atuamos em prol de uma causa”, compartilha Marcia Hirota, presidente do conselho da SOS Mata Atlântica, que esteve presente na cerimônia. “Não é tarefa fácil para as organizações, ainda mais porque há pouquíssimas fontes de recursos, financiadores e empresas que apoiam mobilização, campanhas e divulgação, atividades que são tão necessárias para engajarmos a sociedade e atingirmos a nossa missão”, ressalta. Matheus Mussolin, jornalista responsável pelas redes sociais da ONG, corrobora. Desde o início da criação do perfil, conta, foi sempre um desafio produzir conteúdo para o TikTok, por ser exclusivo para vídeos. Sem recursos para uma produção focada em audiovisual, a solução foi utilizar material das próprias equipes técnicas em viagens, eventos, atividades nos parques e reservas, nas ações de restauração, dentro do próprio viveiro e nos monitoramentos. “A gente tentou utilizar o dia a dia da nossa equipe para mostrar um pouquinho mais sobre a importância dessa luta pela Mata Atlântica”, conta Matheus. [caption id="attachment_1090646628" align="aligncenter" width="640"] Marcia Hirota, Flavia Spolidorio, Matheus Mussolin, Afra Balazina e Marina Vieira, da equipe SOS Mata Atlântica, seguram o prêmio.[/caption] Não é só dancinha A diretora de comunicação e mobilização da SOS, Afra Balazina, conta que acompanhava o crescimento do aplicativo no âmbito internacional. Quando ele chegou ao Brasil, ela sabia que a instituição deveria marcar presença lá, pois a tendência era crescer aqui também. Mas percebeu um certo preconceito quando comentava da ideia. “As pessoas achavam que só dancinha funcionaria no TikTok. Tinham essa imagem que era uma rede social só para coisas mais fúteis, digamos assim.” Apesar da desconfiança, a Fundação criou seu perfil e começou a pensar em pautas específicas para a rede. Além dos conteúdos citados, fez parceria com o próprio TikTok para transmissão de lives na semana do meio ambiente, o que proporcionou um contato direto com o público - uma das maiores vantagens da rede, na opinião dos profissionais de comunicação. É também uma rede com grande inserção entre o público mais jovem, o que faz parte dos objetivos estratégicos da SOS Mata Atlântica. “Atingir novos públicos para que eles entendam a importância da conservação, da restauração das florestas, da importância de cuidar da água”, explica Matheus. Contato com personalidades A cerimônia de premiação permitiu que a equipe falasse da causa da Mata Atlântica também para outro público: o das celebridades. Pessoas normalmente de difícil acesso, mas que estavam ali, dividindo o mesmo espaço. Flavia Spolidorio, que trabalha na área de captação de recursos e parcerias, aproveitou a oportunidade e convidou artistas com quem conversou a conhecerem a sede da Fundação, que fica em Itu, interior de São Paulo, numa antiga fazenda de café que teve sua floresta atlântica restaurada. Para ela, é importante a organização estar presente nesses eventos, para renovar sua imagem. “A SOS existe desde 1986, então o público que mais conhece, que se fidelizou, é um público na faixa dos 40 anos. Hoje a Amazônia é muito citada quando se fala de desmatamento, de preservação ambiental, mas está na hora de falarmos também do bioma Mata Atlântica”, defende. Ela sentiu que assunto foi bem recebido pelas personalidades, como Vitão e Drika Barbosa, que se interessaram pelo trabalho. “A gente plantou várias sementes nessa noite, que eu acredito que vão gerar bons frutos”, declara. Demais prêmios A categoria #TikTokForGood homenageou também Unicef, Rhuan Félix e Fluxo sem Tabu. Algumas novas categorias foram estreadas nesta que é a terceira edição do prêmio, como a “Prof do Ano”, que celebra os professores criadores de conteúdo. O principal título da noite, de “Criador do Ano”, foi para Gustavo Tubarão. Confira aqui a lista de todos os premiados. [caption id="attachment_1090646631" align="aligncenter" width="577"] Representantes recebem prêmio no placo do Tik Tok Awards Brasil 2023.[/caption]

Compartilhar nas redes: